Como encontrar trabalho e ser contratado na Espanha



Buscar trabalho na Espanha pode ser uma tarefa árdua se não se conhece as regras básicas do país. Aqui você vai encontrar algumas chaves que vão lhe ajudar a encontrar diversas vagas de trabalho e ser finalmente contratado por uma empresa espanhola.

Foto: Imagen en Acción

Para isso, vamos apresentar alguns pontos de vista que podem não ser politicamente corretos. Contudo, estamos apenas apresentando a realidade do mercado de trabalho espanhol. O único que queremos é contribuir para que o maior número de brasileiros encontre um trabalho na Espanha e que não perca oportunidades valiosas por desconhecer fatos que ninguém quis contar para não "ficar mal na fita".

Foto: Schezar
Agora, se você está no Brasil é muito importante saber que não basta encontrar uma vaga nem ser selecionado para ter o direito de trabalhar no país. Além disso é preciso que a empresa inicie os trâmites para sua autorização de trabalho. Como já comentamos em outro lugar, essa autorização está limitada a atividades de difícil ocupação ou à trabalhadores altamente qualificados.

Para quem já vive na Espanha de maneira legal, com autorização de trabalho, ou mesmo de maneira irregular, mas cumprindo os requisitos para se regularizar, é possível encontrar ofertas de trabalho e ser contratado por uma empresa.

Aqui nós vamos explicar as principais regras para:

O MERCADO DE TRABALHO VIRTUAL


Foto: World Bank Photo Collection
Para aqueles que saltaram esse título e foram direto ao seguinte por pensar que o mercado de trabalho virtual não existe, eu sinto muito, mas as suas oportunidades vão ficar muito reduzidas, para não dizer inexistentes. Atualmente o perfil digital vem ganhando espaço sobre o tradicional Curriculum Vitae. A questão é que vivemos em uma sociedade massificada onde o selecionador não tem tempo de abrir todos e cada um dos currículos que recebe. A primeira triagem é feita pelo perfil virtual, e se esse perfil não conseguir demonstrar todo o potencial do candidato, o CV sequer será aberto e o candidato será sumariamente descartado.

Ao final deste título vamos indicar as melhores plataformas virtuais para buscar emprego na Espanha. Antes disso, é importante tratar sobre os aspectos comuns dessas plataformas.

A criação de um perfil profissional adequado


1. Coloque uma fotografia adequada no perfil


Foto:  Enrique Leyva
Diz o ditado que quem vê cara não vê coração, mas a realidade é que dificilmente uma empresa irá contratar, ou sequer fazer uma entrevista, com um candidato que não possui um perfil com foto. As razões para isso são diversas.

Na Espanha as empresas também buscam pessoas limpinhas, bonitinhas, cheirosinhas, etc. O empregado é a cara da empresa, e nenhum funcionário de Recursos Humanos quer ser questionado pelo chefe sobre as razões de ter escolhido, ou encaminhado para a fase seguinte da seleção, determinado candidato "estranho". Então a menos que estejam buscando um Einstein, a verdade é que a aparência importa, e muito.

Jamais coloque uma foto recortada onde você se encontra em um grupo de amigos. Também não use fotos na praia, no campo ou em outros lugares abertos, e muito menos fotos à noite, com o fundo escuro ou em discotecas. A foto deve mostrar o candidato em postura formal, com fundo claro, como se fosse tirada da página corporativa da própria empresa. Se julgar necessário, use deliberadamente o Photoshop. Isso pode ajudá-lo a iniciar o processo de seleção e quem sabe ser chamado para uma entrevista onde poderá demonstrar que possui o potencial necessário para a vaga.


2. Indique no perfil que você já está na Espanha

Foto: Ruben

Se possível, também indique que já reside na cidade para onde vai enviar a maioria das candidaturas. Essa simples alteração é muito importante, pois as empresas temem contratar candidatos que não residem na mesma cidade e muito menos no mesmo país da vaga. Em primeiro lugar, existe o receio sobre tempo que o candidato vai precisar para se mudar antes de poder se incorporar na empresa. Em segundo lugar, existe o medo de que o candidato não se adapte ao novo país e acabe abandonando a vaga. Talvez o mais importante é o medo da empresa de que o candidato não se adapte às normas sociais ou às regras de conduta do novo país.

Para evitar tudo isso, é importante demonstrar que você já conhece as normais sociais do país e já está adaptado. Se entrarem em contato, diga que está de férias no Brasil e se proponha a realizar as entrevistas por Skype.


3. Modifique as informações do perfil de acordo com as candidaturas apresentadas


Foto:  Carmen Jost
A trajetória acadêmica e profissional de uma pessoa pode sofrer diversas "curvas", e pode haver coisas que não são interessantes destacar para empresa. Além disso, cada vaga busca um perfil concreto, de modo que o ideal seria que cada candidatura fosse acompanhada por um perfil específico criado para aquela candidatura.

Algumas plataformas já permitem criar diversos perfis que são mostrados às empresas de acordo com a programação prévia feita pelo candidato. Nessas plataformas, é aconselhável criar alguns perfis distintos que irão se adequar aos diferentes tipos de vagas.



Faça um envio massivo e dirigido de candidaturas


O envio de candidaturas à ofertas de trabalho deve ser massivo. Porém isso não quer dizer que você deve sair clicando em todas as vagas que aparecem pra você. Lembre-se que existe alguém do outro lado do computador, o selecionador, fazendo a triagem das centenas de candidaturas que recebe todos os dias. Assim como você pode ficar clicando em todas as vagas que aparecem sem analisar a fundo de que se trata o trabalho, do outro lado estará o selecionador deletando centenas de perfis que não se adequam à vaga. Então não perca tempo simplesmente clicando em "candidatar-se à vaga".

Foto: Nervión al día
O envio de candidaturas deve ser massivo, mas dirigido. Isso quer dizer que você pode, e deve, enviar diversas candidaturas todos os dias, mas deve também analisar e conhecer cada uma delas. Você deve compreender o perfil buscado em cada uma dessas vagas, e assim apresentar seu perfil de acordo com isso. De nada adiantará enviar 1000 candidaturas se nenhuma se corresponder ao que a empresa está buscando. Ainda que você possua as qualificações necessárias, se elas não estiverem visíveis e destacadas em seu perfil, dificilmente a empresa as verá.

A realidade é que a internet permite que as ofertas de trabalho cheguem a um enorme número de pessoas, então é muito difícil aquela antiga prática de que não sendo possível encontrar o perfil buscado, a empresa contrata um parecido. Hoje em dia, as empresas têm acesso à diversas candidaturas que preenchem exatamente as necessidades que elas buscam. Então não adianta enviar currículos à cegas.

Foto: Gabriela Pinto
Para realizar esse envio massivo e dirigido, você deve dedicar um tempo todos os dias, ou algumas horas por semana, para primeiro buscar as vagas que você possa se encaixar, depois analisar os detalhes do trabalho a ser realizado e os requisitos dos candidatos, para então adequar seu perfil digital, seu currículo e sua carta de apresentação de acordo com cada vaga em concreto. Eu sei que isso pode parecer muito trabalhoso, mas pense que se você não fizer e simplesmente enviar um CV padrão, do outro lado da internet estará o selecionador deletando candidaturas genéricas como a sua.

Algumas plataformas de emprego mostram o número de candidatos inscritos em cada vaga. Ali podemos ver vagas com centenas, as vezes milhares de inscritos. Eu pergunto, quantos deles realmente fizeram um tratamento do perfil e CV de acordo com a vaga? Certamente somente uma pequena parte deles. Esses poucos são os que realmente têm chance de ser contratados. Então, se você realmente quer encontrar um trabalho na Espanha, faça como essa pequena parte dos candidatos e realize um envio massivo e de qualidade.

  Cadastre-se nas principais plataformas de busca de emprego


Infojobs (www.infojobs.net)

Informa o número de candidatos já inscritos: SIM
Permite criar vários perfis ou currículos: SIM

Adecco (www.adecco.es)

Informa o número de candidatos já inscritos: SIM
Permite criar vários perfis ou currículos: NÃO

Você tem tempo para mais navegar por mais plataformas?
Então dê uma olhada nessas aqui:

Monster (www.monster.es)
Laboris (www.laboris.net)
Indeed (www.indeed.es)
Opciónempleo (www.opcionempleo.com)
Job and Talent (www.jobandtalent.com/es)
Michael Page (www.michaelpage.es)
Simply Hired (www.simplyhired.es)

Confira também se existe uma plataforma específica para a sua área:

Empregos em educação
Colejobs (www.colejobs.es)

Empregos "verdes", relacionados com energias renováveis
Enviroo (enviroo.com)

Empregos para profissionais altamente qualificados
Experteer (www.experteer.es)

Empregos para estudantes e recém formados
Student Job (www.studentjob.es)

Empregos em Tecnologia da Informação
Tecnoempleo (www.tecnoempleo.com)
Tic Job (www.ticjob.es)

Empregos em Turismo e Hotelaria
Turijobs (www.turijobs.com)


Tenha as idéias claras


Esse vídeo transmite algumas informações muito valiosas para quem quer encontrar um lugar ao sol. Vale muito apena conferir!




CURRICULUM VITAE ESPANHOL


Não preciso dizer que se você está se candidatando à vagas de emprego na Espanha, o currículo deve estar escrito em espanhol, ou eventualmente em inglês dependendo da vaga. O que sim devo dizer é que o modelo do currículo espanhol não se parece ao brasileiro. Não basta traduzir o currículo, é preciso adequá-lo à realidade do país.

Tudo que mencionamos sobre o perfil digital vale também para o currículo. Assim, coloque uma foto adequada, indique que você já está Espanha e adapte as informações de acordo com a vaga pretendida. Porém, ainda há mais coisas que você precisa saber.


1. Faça um currículo breve


Na Espanha os currículos para vagas em geral são breves, isto é, possuem entre 1 e 3 páginas dependendo do volume de informação que a experiência do candidato exige que conste. Para alguém com pouca experiência, 1 página é suficiente. Informe:
  • Dados pessoais
  • Formação acadêmica
  • Experiência profissional
  • Idiomas

Evite detalhar demasiado as funções exercidas na sua experiência profissional. Indique o nome do cargo e brevemente as funções que você executava. Porém não se perca detalhando os "maiores logos", as "dificuldades encontradas" ou outras questões que costumam ser perguntadas na entrevista. A chave é deixar essas questões nas entrelinhas para despertar o interesse do selecionador em lhe chamar para uma entrevista.

EXCEÇÃO: Para vagas de professor, bolsas de estudo ou concursos públicos, a regra se inverte. Nesses casos quanto maior o currículo melhor. A regra se inverte pois nesses casos se leva em conta toda a formação e experiência do candidato. Pelo contrário, nas empresas privadas, como se desenvolve uma função específica, normalmente o perfil buscado também é muito específico, e não se valoriza muito a formação e experiência em outras áreas. No setor público isso muda, e se conta pontos para quase tudo que o candidato fez.


2. Cuidado com os períodos em que você trabalhou e estudou ao mesmo tempo


Isso vale para aquelas pessoas que começaram a trabalhar cedo durante a escola ou que trabalharam durante a Faculdade. Ocorre que na Espanha trabalhar e estudar ao mesmo tempo não é nada comum e eles não conseguem entender que uma pessoa possa fazer isso. A questão é que aqui não existe o turno da noite nas Universidades, então é muito difícil conciliar as duas coisas. Já no Mestrado e Doutorado isso muda.

Sim, na Espanha é possível trabalhar nos finais de semana ou fazer estágios de meio turno durante a Faculdade, mas trabalho propriamente dito não. Então, para evitar a incompreensão do selecionador, pondere se realmente é necessário deixar explícito que estudava e trabalhava ao mesmo tempo. Certamente tanto a formação acadêmica quanto a experiência profissional são importantes, mas analise como apresentar isso da melhor maneira no seu currículo.

O que está bem visto: trabalhar nas férias ou nos finais de semana, trabalhar durante o ano em estágios relacionados com o seu curso.

O que está mal visto: trabalhar junto com os estudos na Escola ou Graduação.

Então, por exemplo, se você trabalhou como garçom durante a Faculdade, seria interessante pensar em limitar no papel esse trabalho aos finais de semana no período letivo. Agora, se você vai enviar o currículo para uma vaga de garçom, destaque essa experiência e pense se é realmente necessário mencionar a Faculdade.


3. Cuidado com a sobrequalificação


Atualmente não vale mais a ideia de que quanto maior a qualificação, maior a chance de ser contratado. Uma maior qualificação acadêmica ou experiência profissional nos abre um maior leque de oportunidades, pois você poderá disputar tanto aquelas vagas que pedem essa bagagem quanto as que não pedem. Porém, muito cuidado ao se candidatar à vagas que exigem uma formação ou uma experiência inferior à que você tem. Por mais estranho que isso possa parecer, as empresas temem contratar candidatos sobrequalificados.

Existe, por exemplo, o temor de que o empregado fique descontente com o trabalho e não renda como esperado. Existe o medo de que o candidato encontre uma vaga melhor em outra empresa e abandone o trabalho. Existe o medo de que o trabalhador não ache justo o salário, etc. Na empresas menores, também existe o receio do chefe de comandar um subordniado com maior experiência ou maior conhecimento.

Isso ocorre também no Brasil. Recentemente em uma reportagem sobre a dificuldade de emprego para Doutores, um Dentista brasileiro comentava que não contrata Dentistas com Mestrado ou Doutorado, pois acha prepotente colocar essas informações no Currículo. Desde logo, devo dizer que nós somos totalmente contrários a esse entendimento. Ora, o que deveria fazer o candidato? Ocultar os Diplomas que obteve? O que diz esse dentista é o seguinte:

"Eu recebo mensalmente pedidos de empregos diversos, alguns deles oriundos de mestres e doutores que acham que podem tudo, exatamente porque exibem tais titulações. Isso exibe a má formação pois títulos 'Strictu sensu', como o próprio nome já diz, são restritos a um conhecimento profundo sobre assuntos limitados. Não tiro jamais a importância do estudo, nem da qualificação, mas prefiro contratar funcionários que queiram crescer, ao invés de se mostrarem grandes".

Mesmo que nós sejamos contrários a essa postura, precisamos saber que ela existe. Então o mais indicado é apresentar no currículo somente a qualificação exigida para a vaga.


4. Escreva o currículo em espanhol da Espanha


Por mais que todos os países que falam espanhol se compreendam, muitas palavras possuem diferentes significados e por isso é importante utilizar o termo correto no país ao que se envia o currículo. Para ser claro e evitar mal entendidos, verifique como se utiliza na Espanha a terminologia da sua área de estudos e experiência profissional. Porém não use tradutores automáticos, pois é especialmente nesses termos onde eles pior traduzem.

Exemplos. Quem cursou uma Faculdade e, portanto, possui uma Graduação no Brasil, é chamado na Espanha de "Licenciado" ou "Graduado", já no Perú, o termo utilizado é "Bachiller". Porém na Espanha o "Bachiller" corresponde aos dois últimos anos do Ensino Médio. Então se você disser que é "Bachiller" em algo, irão compreender que possui Ensino Médio. Outro erro muito comum é a tradução do termo "Diplomado" do Brasil para "Diplomado" da Espanha. Se você disser a um espanhol que é Diplomado, ele vai entender que se trata de um Curso Técnico ou Tecnólogo superior de 2 ou 3 anos, mas nunca uma Faculdade de 4 anos ou mais. Como você pode observar, isso pode causar uma grande confusão na cabeça do selecionador. Então, a regra de ouro é escreva seu currículo em espanhol da Espanha.

CARTA DE APRESENTAÇÃO


Em algumas vagas se exige enviar uma carta de apresentação além do currículo. Quando não exigido, uma carta assim pode ser um diferencial, pois é aqui onde você vai destacar alguns pontos que não incluiu no currículo, ou vai reforçar o que já consta no CV chamando a atenção do selecionador. Para candidaturas espontâneas, isto é, quando você envia o currículo para uma empresa sem que exista uma vaga aberta, a carta de apresentação é quase imprescindível.


1. Saudação e referência à vaga ou objetivo na empresa


Como todo e-mail ou carta formal, a carta de apresentação deve iniciar com uma saudação. Nesse caso, trata-se de uma saudação formal.

Além disso, é importante indicar a vaga pretendida no caso de que se esteja candidatando a uma vaga em concreto, ou ao cargo pretendido no caso de candidaturas espontâneas.

Exemplos:

"Muy Sres. míos,  
Con referencia a su anuncio de encargado de producción publicado en Infojobs, adjunto remito mi curriculum vitae."

"Estimados Sres.:
En relación con la oferta publicada en Adecco, tengo el gusto de remitirles mi currículum vitae con el objetivo de participar en el proceso de selección."

"Estimados Sres.:
Una vez finalizados mis estudios de Administración y Dirección de Empresas en la Universidad de São Paulo, busco mi primer empleo donde profundizar y aplicar de modo práctico los conocimientos adquiridos."


2. Apresentação do candidato


A parte mais importante da carta é a apresentação do candidato, que deve incluir uma breve referência à sua formação acadêmica e à sua experiência profissional caso possua. Essa parte da carta deve ser adaptada e adequada à cada vaga que seja enviada.

É aqui onde você vai fazer a diferença em relação aos demais candidatos. A abertura e o encerramento das cartas é muito parecida. Em realidade servem para que o selecionador veja se você está habituado às formalidades de estilo. Se a resposta for afirmativa, a segunda etapa será essa.

Exemplo:

"Como pueden apreciar en mi CV, soy Licenciado en Administración y Dirección de Empresas en la especialidad de Marketing, y he realizado además un curso de especialista en Administración Hopitalaria. He trabajado por dos años en el Hospital Albert Einstein en São Paulo donde he desarrollado las habilidades de..."


3. Despedida e encerramento


A despedida e o encerramento também são redigidos de maneira padrão. Obviamente o que se busca é a contratação. Porém, como não é comum ser tão objetivo assim, o tradicional é solicitar uma entrevista ao selecionador antes de se despedir.

Exemplos:

"Quedo a su disposición para ampliar cuanta información estimen necesaria. A la espera de sus noticias, se despide atentamente."

"Por estas razones, desearía tengan en cuenta mi candidatura en la selección que Vds. convocan.
Sin otro particular, les saluda atentamente."

"Les agradecería mantuviésemos una entrevista con objeto de ampliar los datos que aparecen en el Curriculum Vitae, así como todo aquello que consideren de su interés.
A la espera de sus noticias, se despide atentamente."



Como encontrar trabalho e ser contratado na Espanha Como encontrar trabalho e ser contratado na Espanha Reviewed by Víctor on 00:29 Rating: 5